Sindicato dos Inspetores do Sistema Penitenciário do Espírito Santo

A preocupação com o avanço do coronavírus e os impactos da pandemia na vida pessoal e profissional dos cidadãos capixabas têm dominado a mente de quem representa famílias, grupos, categorias, como é o caso do Sindicato dos Inspetores do Sistema Penitenciário do Estado (Sindaspes). Em busca de alternativas para reduzir a proliferação da doença e proteger os inspetores penitenciários, a diretoria do Sindicato fechou uma parceria com a empresa Asseptec Ambiental, que higienizou e desinfectou as unidades prisionais.

E hoje (19/06) foi dia da equipe da Asseptec Ambiental e da diretoria do Sindaspes se deslocarem para o Centro de Detenção Regional de Linhares (CDRL), no Norte do Estado, e serem recepcionados pelo diretor Nelson Rodrigo Merçon, que demonstrou satisfação e apoio total com a mobilização em prol da saúde daqueles que estão e prestam serviço na unidade prisional.

O presidente do Sindaspes, Rhuan Karllo Fernandes, falou sobre sua preocupação. “Estamos diante de um inimigo invisível, que tem se aproximado cada vez mais e ceifado vidas diariamente, destruindo famílias, abalando a saúde física e mental das pessoas. Só no Espírito Santo, foram registradas 1.223 mortes até ontem (18/06). No País, um total de 47.897 vidas perdidas. Apesar de serem números, não estamos falando de estatísticas, estamos falando de pessoas, de um parente, vizinho, amigo”, refletiu Rhuan, que continuou:

"E quando trazemos para o nosso cenário, da realidade prisional, de um serviço essencial que não pode parar, mas também não pode negligenciar a saúde dos seus, percebemos que não podemos apenas contar com os cuidados individuais. Temos de pensar, propor, colocar em prática ações de prevenção, enfrentamento e combate ao coronavírus de forma coletiva. Por isso, buscamos e conseguimos essa parceria, sem custos, para proteger os inspetores, que são nossa prioridade”.

Ontem (18/06), os diretores Roger Santesi Firme, da Penitenciária de Segurança Média I (PSME I), e Pablo Pereira de Souza, da Penitenciária de Segurança Máxima I (PSMA I), apresentaram suas respectivas unidades, que foram escolhidas para receberem as medidas propostas pelo protocolo sanitário da empresa, de higienização e desinfecção com a solução descontaminante Asseptec.

O diretor técnico da Asseptec, Niucesar Estevam, explicou sobre o produto utilizado, que, segundo ele, vai além da proteção à Covid-19. "Esta solução tem eficácia comprovada e autorizada pelo Ministério da Saúde/Anvisa e também age no controle das larvas e pupas do Culex e do Aedes aegypti, reduzindo drasticamente a incidência das doenças causadas pelo Aedes (dengue, zika, febre amarela e chikungunya) e, ainda, contra bactérias, vírus, protozoários, verminoses e fungos causadores de doenças como: leptospirose, hepatites A e E, histoplasmose, hantavírus, giardíase, larva migrans cutânea e visceral, toxoplasmose, micose e psitacose”.

Niucesar explicou ainda que os agentes da empresa atuam seguindo as recomendações dos órgãos de Saúde, devidamente equipados com pulverizadores costais e fazendo a aplicação do produto por aspersão e névoa nas superfícies a serem desinfetadas.

Todo o processo de descontaminação realizado nos presídios do Complexo Penitenciário de Viana foi acompanhado de perto pelo deputado Coronel Alexandre Quintino e pela assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus).

“Gostaríamos de agradecer mais uma vez ao parlamentar, que não tem medido esforços para incentivar e participar junto ao Sindaspes de mobilizações como esta, que primam por beneficiar os servidores prisionais. E também à equipe de Comunicação da Sejus, que se prontificou a registrar a ação e deu a ela a relevância que realmente merece”, reconheceu a diretoria do Sindaspes.

O diretor financeiro da entidade, Sostenes Araujo, destacou que a empresa prestadora de serviço é capixaba, especializada em descontaminação e possui laudo comprobatório da eficácia do seu produto fornecido pelo Laboratório de Virologia - Instituto de Biologia/Universidade Estadual de Campinas - Unicamp.  "Além disso, tem sido contratada por instituições, comércios e prefeituras, como a de Ibiraçu, no litoral Norte do Estado, para fazer a higienização e desinfecção das ruas e locais públicos do município, o que reforça a nossa tese de compromisso da empresa e qualidade do produto”.

A Asseptec Ambiental atua no mercado com exclusividade para o tratamento, descontaminação e assepsia nas areias contidas nas escolas, creches, condomínio, clubes, parques, em diversas regiões do Brasil, como:  Fundação Bradesco, Clubes de referência como Tijuca Tênis Clube, Associações do, Banco do Brasil, Caixa Econômica, Prefeituras, entre outras.

O Sindaspes tomou essa iniciativa, mas tem conhecimento da importância de ampliá-la. Por isso, enseja que o Estado avalie a possibilidade de acionar, fechar parceria ou contratar a empresa para que o serviço de sanitização possa ser oferecido para todas as unidades prisionais com a periodicidade necessária. “É um serviço sanitário de eficácia comprovada, mas não é um produto barato. Conseguimos a gratuidade para atender apenas três unidades, mas é extremamente necessário higienizar os demais presídios”, afirmou a diretoria, que tem debatido o assunto com a Sejus.

O diretor de Comunicação e Assistência Social do Sindicato, Jonathan Furlani, reforçou a necessidade de associar à desinfecção industrial às medidas de higiene individuais. “É importante mantermos o uso da máscara, a higienização das mãos, cobrindo o rosto ao tossir ou espirar, evitar aglomerações e manter os ambientes sociais e de trabalho limpos e ventilados. Nesse momento todo cuidado não é excessivo, pelo contrário, pode salvar vidas”, frisou.

 

CLIQUE AQUI E ACESSE A SOLICITAÇÃO FEITA PELO SINDASPES PARA HIGIENIZAÇÃO E DESCONTAMINAÇÃO DE UNIDADES PRISIONAIS NO COMBATE AO COVID-19.

CLIQUE AQUI E ACESSE O DOCUMENTO DE AUTORIZAÇÃO PARA APLICAÇÃO DO PRODUTO.

© 2019. All rights reserved.